Voltar atrás é pleonasmo?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Antes de se tornar vedete nacional e internacional, a Renca era pouco conhecida. As cinco letras querem dizer Reserva Nacional de Cobre e Associados. De olho na riqueza, o governo liberou a mineração na área. Ops! Não contava com a reação popular. Os protestos chegaram ao Rock in Rio. Resultado: ficou o dito pelo não dito. A decisão repercutiu em Europa, França e Bahia. Repórteres […]

Erramos: vírgula

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Hoje corremos atrás do tráfico na Rocinha e, amanhã será no Alemão”, escrevemos na pág. 8. Viu? Ou sobra ou falta uma vírgula. O advérbio amanhã fica solto ou vem entre os sinaizinhos. Assim: Hoje corremos atrás do tráfico na Rocinha e amanhã será no Alemão. Hoje corremos atrás do tráfico na Rocinha e, amanhã, será no Alemão.

Sobra 10% da floresta? Sobram 10% da floresta?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

No Bom Dia, Brasil, ouviu-se esta frase: “Sobrava 10% da floresta”. A concordância está correta? Não. Com percentagem, abra os dois olhos. A danada joga no time dos partitivos. A posição do verbo é a chave: 1. Se vem depois do sujeito, o verbo pode concordar com o numeral ou com o complemento: Só 10% da floresta foram mantidos (concorda com 10). Só 10% da […]

Há duas horas atrás? Baita pleonasmo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O verbo haver tem mil e tantos empregos. Um deles: contagem de tempo passado: Cheguei há pouco. Mora nos Estados Unidos há três anos. Desde que fez a primeira viagem de navio há 10 meses, abandonou o avião. Prefere navegar a voar. Simples assim. Mas muitos preferem complicar. Desavisados, juntam o haver com o atrás (chegou há duas horas atrás). Baita pleonasmo. O casamento junta […]

Teleducação ou teleeducação?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Gente, setembro se vai. Dá passagem ao quarto trimestre. A meninada pensa nas provas e, claro, nas férias. A Secretaria de Educação vai além. Organiza o próximo ano letivo. Em Brasília, começaram as telematrículas. Os pais matriculam os filhos por telefone. A papelada fica para depois. O procedimento trouxe tele– ao cartaz. Telematrícula se escreve com hífen? Guarde isto: a família tele- sofre de intolerância […]

Acabar com os pronomes de tratamento? Sim.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

É excelência pra cá. Magnificência pra lá. Eminência pracolá. Eta coisa velha! O mofo centenário incomodou o senador Roberto Requião. Como o que fica parado é poste, Sua Excelência apresentou projeto de lei pra lá de bem-vindo. Propõe acabar com o tratamento cerimonioso a autoridades. Excelências & cias. entram na vala comum. Viram senhor e senhora. Como diz a Constituição, todos são iguais perante a […]

Você: pronome de segunda pessoa

Publicado em 1 Comentárioportuguês

O pronome você pertence à segunda ou à terceira pessoa? As pessoas do discurso são três. A primeira: quem fala. A segunda: com quem se fala. A terceira: de quem se fala. Você é a pessoa com quem se fala. Joga no time do tu, vós e de todos os pronomes de tratamento começados por vossa. Aliás, quando nasceu, você era Vossa Mercê, companheiro de […]

O omelete? A omelete? Você escolhe

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A fritada de ovos bem batidos que a gente recheia de delícias ao gosto do freguês nasceu na França. Lá, chama-se omelette. Aqui ganhou o nome de omeleta. Mas o azinho final não pegou. Ficamos com omelete, como a matriz. E o gênero? A gostosura joga no time de personagem. Pode ser feminina ou masculina: Eu comi um omelete de queijo. Ela comeu uma omelete […]