Erramos

Publicado em Deixe um comentárioErramos, grafia

“Impeachment sem crime de responsabilidade é o que?”, escrevemos na pág. 2. Cadê o acento? O pronome que, quando está no fim da frase, no fim mesmo, encostadinho no ponto, torna-se tônico. Pede chapéu. Melhor: Impeachment sem crime de responsabilidade é o quê?

Doce sonho

Publicado em Deixe um comentárioGrafia, pronúncia

Brasília ganhou uma loja especializada em croissants. Chama-se Croasonho. O nome vem do casamento da delícia com o sonho dos idealizadores do produto. Liana Sabo, que, além de comes e bebes entende de português, estranhou a grafia. A razão: um s entre duas vogais soa z. É o caso de mesa, camisa, surpresa. E, claro, croasonho. Pra manter a pronúncia, o s deveria ser dobrado? […]

Manhas da sigla

Publicado em Deixe um comentárioflexão, Grafia, sigla

Sigla tem plural? O plural não é obrigatório. Mas há grande preferência pela indicação do número. É fácil. Basta acrescentar um s pequenino: os PMs, as UTIs, as ONGs. Sem macaquices, moçada. O s é encostadinho na sigla. Nada de apóstrofo. Em português, o apóstrofo não indica plural. Indica supressão de letra: mãe-d´água.  

Leitor pergunta

Publicado em Deixe um comentárioGrafia

  Nunca sei quando usar espiar e expiar. Pode me dar uma luz? (Jonas Biatles) Guarde isto, Jonas. O garoto curioso espia pela fechadura da porta o banho da irmã. A mãe vê. Contrariada, castiga-o. Recolhe o celular por três dias. “Por quê?”, pergunta ele choroso. “Porque você deve expiar o erro.” É isso. Espiar é observar secretamente. Daí espião, espionar, espionagem. Expiar, pagar erros […]

Simples assim

Publicado em Deixe um comentárioGrafia

A ver? Haver? Como não confundir as formas que soam do mesmo jeitinho? Seja esperto. Faça o jogo do troca-troca. Se o a for substituível por que, abra alas para o ver. Caso contrário, o haver pede passagem: Este caso não tem nada a (que) ver com aquele. Minha experiência tem tudo a (que) ver com a de Maria. Vai haver festa por aqui?

Sua Excelência o palavrão

Publicado em Deixe um comentárioGrafia

O personagem da semana? Ele mesmo, Lula. Primeiro, pintou a suspeita. O ex-presidente seria nomeado ministro? Depois, a certeza. Foi nomeado. Por fim, a divulgação de diálogos gravados com autorização da Justiça. Foi aí que a porca torceu o rabo. Na transcrição das conversas, emissoras de rádio e tevê censuraram os palavrões. Ouvintes e telespectadores protestaram. Queriam ouvir as frases na totalidade — tim-tim por […]

Eta confusão!

Publicado em Deixe um comentárioGrafia

“O Corpo de Bombeiros atendeu 27 ocorrências de mau súbito”, escreveu o jornal pós-manifestações. Ops! Pisamos a grafia. O contrário de mau é bom; de mal, bem. Melhor: O Corpo de Bombeiros atendeu 27 ocorrências de mal súbito. Mais confusão Vamos combinar? O u e o l causam estragos. Em fim de sílaba, eles soam do mesmo jeitinho. Resultado: o troca-troca faz a festa. Cauda […]