A ou há?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Na referência a tempo, a preposição a indica futuro: O curso se inicia daqui a dois dias. A três meses das eleições, não se tem a definição dos candidatos. O filme começa daqui a pouco. Daqui a poucos dias, terminam as férias escolares. Há exprime passado: Chegou há pouco. Moro em Brasília há oito anos. Há mais de dois anos Michel Temer preside o Brasil. […]

Á: primeira letra do alfabeto

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Muitos consideram o português uma língua muito difícil. Não falta quem jure que é a mais difícil de todas as conhecidas. Verdade? Não. É mito. Como todas as línguas de cultura, o português tem um sistema fonético, morfológico e sintático que precisa ser dominado. Pra chegar lá, impõe-se estudar. Imagine imensa escadaria. A cada nova aquisição, subimos um degrau. Até atingir o topo, longo percurso […]

Basta de brigas? Bastam de brigas?

Publicado em 1 Comentárioportuguês

Cuidado com a concordância quando o sujeito vem depois do verbo: Bastam algumas horas (algumas horas bastam), Bastam-me duas horas para concluir o trabalho (duas horas me bastam para concluir o trabalho). Seguido da preposição de, bastar é impessoal. Mantém-se na 3ª pessoa do singular: Basta de brigas. Basta de lamúrias. Basta de promessas.    

Bastante ou bastantes?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Bastante pode ser adjetivo ou advérbio. Em outras palavras: ora se flexiona, ora se mantém invariável. Atenção às manhas da trissílaba arteira: Quando adjetivo, bastante modifica o substantivo e se flexiona em número: motivos bastantes, bastantes vezes, bastantes recursos. Quando advérbio, bastante é invariável: comer bastante, bastante caros, bastante tarde. Superdica: na dúvida, substitua bastante por muito. Se for adjetivo, o dissílabo se flexiona (motivos […]

Nove curiosidades sobre a língua portuguesa

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A língua é das pessoas e para as pessoas. Como possuidor e destinatário são pra lá de interessantes, o mais fácil código de comunicação não poderia ser diferente. É cheio de curiosidades. Conta histórias, faz piadas, explica o inexplicável.Quer ver? Aprecie. Psiquê e Cupido Cupido e Psiquê se casaram. Antes, combinaram que ela nunca veria o rosto do deus do amor. Uma noite, a mulher […]