Ir a e ir para: diferença

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Você já foi na Renner hoje?”, pergunta a propaganda. José Ricardo ouviu. Os ouvidos reclamaram. Doeeeeeeeeeeram. Com razão. O verbo ir é pequenino, mas cheio de manhas. Ele aceita duas preposições. A gente vai a algum lugar ou para algum lugar. Ir a indica deslocamento breve. Quem vai a algum lugar está passeando ou trabalhando. Volta em pouco tempo: Vou ao clube. Paulo vai ao […]

Tropeço do jornal: sobressair

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Ops! O jornal tropeçou. Na primeira página, na chamada sobre o prêmio Nobel, escreveu:  “O trio estuda mecanismos usados por células doentes para se proliferar”. Baita desperdício.  O se sobra. Sobressair não é pronominal. Altivo, dispensa objeto. Reina sozinho, absoluto: O novato sobressai nas pesquisas. Os povos da Mesopotâmia sobressaíram na escultura. O relator sobressaiu na discussão ao defender aumento da segurança. E, claro, o […]

Aos domingos? Nos domingos?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Aos domingos = todos os domingos: Vou à missa aos domingos. Há médicos que preferem dar plantão aos domingos. O comércio abre aos domingos. Os demais dias da semana seguem a mesma regra. Pedem a preposição a quando indicam ação que se repete: Os museus fecham às segundas-feiras (todas as segundas). Estudo inglês às terças e sextas. Costumo ir à livraria aos sábados. No domingo […]

Nobel: pronúncia e flexão

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Começou a premiação mais aguardada em Europa, França e Bahia. Trata-se do Nobel. Hoje saiu o de Medicina. Dois cientistas americanos e um inglês dividiram o prêmio. Palmas pra eles. Pra nós fica o desafio da pronúncia. Guarde isto: Nobel pronuncia-se como papel e Mabel. A sílaba tônica é a última. Superdica Isolado, Nobel tem plural. Acompanhado de prêmio, mantém-se invariável: Ganhou dois Nobéis. Dedicou […]

Perdoar: regência e acentuação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Perdoa-se alguém? Ou perdoa-se a alguém? Na fala vale tudo. Mas, na norma culta, a novela muda de enredo. O português moderno tem preferências. Ele se derrete de amores por objeto direto de coisa e indireto de pessoa. Tradução: Complemento pessoa? Use perdoar a. Complemento coisa? Perdoar simplesmente. Exemplos não faltam: Deus perdoa os pecados. Deus perdoa aos pecadores. Deve-se perdoar qualquer falha aos poetas […]

Desidratação: etimologia

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

  Ops! O governo cochilou. Era tarde, noitão adentro. Senadores saíram de mansinho. O quórum ficou magro, esquelético. Não deu outra. A oposição aprovou destaque que garfou R$ 76,4 bilhões da Previdência. Uma palavra ganhou destaque. É desidratação. A grandona tem pai e mãe. Nasceu da greguinha hidro. Na terra de Platão e Aristóteles, hidro quer dizer água. Hidrante, hidrelétrica, hidráulico, hidrofobia pertencem à família. […]

Amor à primeira vista? Amor a primeira vista?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Bolsonaro dava posse ao procurador-geral da República. De gravata verde-amarela, Augusto Aras olhava encantado para o morador do Planalto. O presidente retribuiu. Olhou o deslumbrado nos olhos e soltou esta: — Com todo o respeito, foi amor à primeira vista. Falar é uma coisa. Escrever, outra. Na hora de redigir a matéria para o jornal, pintou a dúvida: com crase ou sem crase? Os repórteres […]