Olha o Rio na parada

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  Viva! O Rio de Janeiro ganhou a primeira disputa. Está na fase final da escolha para a sediar as Olimpíadas de 2016. A bela cidade brasileira, junto com a americana Chicago, a espanhola Madri e a japonesa Tóquio, derrotou a tcheca Praga, a catariana Doha e a azeri Baku.   A batida do martelo será em 2 de outubro de 2009. Até lá, vale […]

Operação Cupido

Publicado em Deixe um comentárioGeral

    A Polícia Federal inventa nome criativo a cada investigação que procede. A mais recente chama-se Operação Cupido. Objetivo: apanhar as mercadorias piratas destinadas a apaixonados. A denominação tem tudo a ver. Quinta-feira é Dia dos Namorados. Nada melhor que lembrar o responsável por amores possíveis e impossíveis. Conhece?    Cupido é um menino que anda sempre armado. Mas suas armas são muito especiais. De dia […]

Sem privilégio

Publicado em Deixe um comentárioGeral

    Há um particípio que dá trabalho. Trata-se de dado, filhote do verbo dar. Muitos o confundem com locução prepositiva. Jogaria no time de à base de, em frente a, acerca de, a fim de, além de, graças a, junto a e tantas outras. Seria, por isso, invariável.     O resultado é um só. Gente boa ou nem tanto escreve frases arrepiantes como […]

O todo manhoso

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  O pronome todo é cheio de manhas. Ora vem no singular, ora no plural. Ora acompanha substantivo com artigo, ora sem artigo. Em cada forma, dá um recado diferente.      No singular, com substantivo sem artigo, todo significa cada, qualquer: Todo (qualquer) homem é mortal. Todo (qualquer) país tem uma capital. Toda (qualquer) hora é hora. A toda (cada) ação corresponde uma reação.   No […]

Historinhas para pequenos e grandões

Publicado em Deixe um comentárioGeral

    Sabia? A mesada tem tudo a ver com a língua. Uma e outra exigem economia. O dinheirinho é sempre curto. A gente tem vontade de comprar sorvetes, revistas, jogos de computador, tênis e mochilas incrementados. Mas não dá. O jeito é poupar. A regra vale para a língua. Nada de desperdiçar palavras. Dizer subir pra cima ou descer pra baixo? Nem pensar. Subir […]

E pode?

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  Em conversa com amigos, Ronaldo Silveira, de Belô, ouviu “esperdício” como sinônimo de “desperdício”. Ficou encucado. “Está certo?”, perguntou ao blog.   O dicionário diz que sim. As duas formas estão lá, firmes e fortes.

Quem manda no pedaço?

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  Singular ou plural? Em fração, o verbo ou o nome concordam com o número que vem antes da vírgula. Ele é dono e senhor. Hoje esquecemos o poder da criatura. A prova está lá, na pág. 23: “Países desenvolvidos têm uma média de 0,3 mortes para 10 mil veículos”. É 0,3 morte, não?

Sobressair, o solitário

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  “Eu sou mais eu”, diz o verbo sobressair. Altivo, acredita que é melhor andar só que mal-acompanhado. Adora reinar sozinho na frase. Resultado: dispensa o objeto direto e o indireto. Não aceita jamais a companhia dos pronomes me, te, se, nos, vos. Dizer, por exemplo, o presidente “se sobressai” é a receita do cruz-credo. Pega mal como jogar papel na rua.   Para sobressair, empregue […]

Moral, questão de gênero

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  O moral? A moral? As duas palavras estão em todos os dicionários. Escrevem-se do mesmo jeitinho. Mas o gênero faz a diferença. Uma é macha. A outra, fêmea. Muita gente não sabe disso. Na maior ingenuidade, mistura alhos com bugalhos. O resultado é um só. Pensa que está dando um recado, dá outro. Pior: não dá recado nenhum. Deixa o leitor a ver navios. […]

Dá ou baixa

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  Que susto! Deu na TV: “Fiscais extorquiam delegada”. É difícil. Extorquir não é coisa boa. Significa obter por violência, ameaças ou ardis. O verbo tem uma manha. Seu objeto direto tem de ser coisa, nunca pessoa. Extorque-se alguma coisa, não alguém: Fiscais extorquiam dinheiro de delegada. A polícia tentou extorquir o segredo. Extorquiram a fórmula ao cientista.