Este, esse ou aquele?

Publicado em Deixe um comentárioGeral

          Os pronomes este e esse dão nó na cabeça. Ariscos, não se deixam captar. Quando empregar um? Quando é a vez do outro? O pior é que o papel deles é bem definido. Eles são parecidos, mas não iguais. Versáteis, têm três empregos:             1 – indicam situação no espaço:                     Para entender esse emprego, lembre-se das pessoas do […]

Adjetivos classe A

Publicado em Deixe um comentárioGeral

    Na língua há adjetivos e adjetivos. Alguns, iguais a todo mundo, se flexionam normalmente. Outros têm sangue azul. Quando dizemos civilização grega, referimo-nos à civilização própria do povo grego. Se quisermos, porém, indicar a civilização comum aos povos grego e romano, falamos em civilização greco-romana. Ao se juntar ao romano, o adjetivo grego apresentou a certidão de nobreza e se tornou greco.   […]

Notícias tristes

Publicado em Deixe um comentárioGeral

No Rio, homens invadem farmácia e fazem clientes reféns. Em Brasília, jovens seqüestram mulher que saía do shopping, prendem-na no porta-malas e obrigam-na a peregrinar por caixas eletrônicos. Na Colômbia, guerrilheiros mantêm centenas de pessoas presas na selva. São reféns do terror.   Nas três notícias, duas palavras dão recados pra lá de importantes. Uma: seqüestro. A trissílaba deixa claro. O trema continua vivinho da […]

Verbo traiçoeiro

Publicado em Deixe um comentárioGeral

    Eta verbo complicado! Advogados, jornalistas, políticos, estudantes, todos tropeçam nele. Ninguém escapa. Nem o Aurélio. Na primeira edição do dicionário, o mestre trombou na conjugação do danadinho. Mas, sabido, corrigiu a bobeira na segunda.   Explica-se a confusão. O adequar é daqueles verbos pra lá de especiais. Sovina, só se conjuga nas formas arrizotônicas. Em bom português: nas formas em que a vogal […]

Getúlio se suicidou

Publicado em Deixe um comentárioGeral

        Viva! Eliane, Rúbem e Paulo conseguiram vencer nosso problema tecnológico e blogar comentários. Os três estranharam exemplo da nota “É pleonasmo?” Lá está: “Há mais de 50 anos, Getúlio se suicidou”.      Eles lembram a etimologia do verbo. Sui significa a si mesmo. Logo, não há jeito de suicidar outra pessoa. Só a si mesmo. Para que o se?     As criaturas […]

Cadê?

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  Ops! Olha a regência outra vez: “A mulher foi mantida sedada em um quarto fechado, onde só podia sair para tomar banho”, escrevemos na pág. 30. Cadê a preposição? Quem sai sai de algum lugar. Melhor: A mulher foi mantida sedada em um quarto fechado, de onde só podia sair para tomar banho.

A gangue do MARIO

Publicado em Deixe um comentárioGeral

      Ninguém acredita. Mas lá está. Na capa do Jornal do Brasil, aparece a chamada “ONU media disputas pelo Ártico”. Os leitores bateram os olhos no texto. Desconfiaram do que viram. Tornaram a ler. Não havia dúvida. O redator desconhece a gangue do MARIO. Se tivesse sido apresentado ao grupo, teria dado passagem à forma medeia.   Ela é composta de cinco verbos. […]

É pleonasmo?

Publicado em Deixe um comentárioGeral

      “Antes, não tinha dúvida. Mas, de tanto ouvir `há tantos anos atrás´, acabei questionado meus conhecimentos. Afinal, a duplinha há…atrás é pleonasmo?”, pergunta Rafael, intrigado com tantos tropeços na língua.     É. O há indica tempo passado. O atrás também. Usá-los na mesma oração é redundante como entrar pra dentro ou sair pra fora. Manda a norma culta escolher um ou outro: Cheguei […]

Mim não faz nem acontece

Publicado em Deixe um comentárioGeral

    A conversa rolava solta. Grupinho de estudantes comentava questões do simulado aplicado no fim de semana. Uma delas referia-se ao emprego dos pronomes eu e mim. Apesar de simples, o assunto ainda pega a moçada pelo pé. A prova apresentou duas frases quase iguais. Qual delas merece nota mil?     a. Depois da reunião, fiquei na sala. O professor deixou um texto […]