images

O PING PONG DOS RELACIONAMENTOS (consulta de leitora)

Publicado em consulta, Relacionamento amoroso

Bom dia! No momento estou vivendo um relacionamento com um homem que é egoista principalmente no sexo. Já tentei conversar várias vezes, porque eu sou carinhosa, companheira e parceira de todas as horas. Mais vejo que ele não tem interesse em mudar, pois já falei várias vezes e nada. Estou triste porque é meu segundo casamento que não dá certo. E mais é mulherengo.

Prezada leitora,

o que você está relatando é uma situação lamentavelmente comum. Hoje só faço palestras, estou afastada da clínica, mas, quando tinha tempo para o consultório, recebia tantos casos assim que cheguei a formar um grupo de terapia chamado PARA SOBREVIVER A UM GRANDE AMOR, voltado para mulheres presas a relações amorosas difíceis.

Como você não disse nada nesse sentido, imagino que não tenham procurado uma terapia de casal, o que seria muito interessante. É frequente os casais não se entenderem. No início, tudo é uma maravilha, mas, de repente, mal conseguem conversar. E muitos se beneficiam da ajuda de um profissional, alguém que identifica o que atrapalha o diálogo e auxilia nesse primeiro passo, que deverá ser seguido de outros, para que a harmonia seja encontrada ou restabelecida.

Converse com seu marido sobre procurar um terapeuta. Se ele não se dispuser, vá sozinha e conte sua história, para que o profissional a oriente, inclusive acerca da forma como você poderá abordar o assunto e levá-lo a entender a importância de participar desse processo. Agora, se já procurou ajuda e não obteve sucesso, não se desespere, encontre terapia para você.

Sei que, neste momento, pode estar passando pela sua cabeça que você não precisa de terapia porque é “carinhosa,companheira e parceira de todas as horas”, que quem precisa é ele, por ser “egoísta”, “mulherengo”, porque “não tem interesse em mudar”. Só que é assim que funciona – quem deve buscar ajuda é quem está sofrendo e sente que as coisas precisam tomar um rumo diferente.

Vocês são um casal e o que cada um é, como lida com essas questões, tem impacto sobre o outro. Gosto da ideia de que estar em um relacionamento é como jogar várias partidas de Ping Pong – um faz Ping e o outro faz Pong. Por pior que seja o Ping que um faça, se o outro faz Pong, mantém o jogo. Aí vem outro Ping e outro Pong, e outro Ping e outro Pong, e outro Ping e outro Pong

Hoje ele faz o que quer, faz Ping. Você sofre, reclama, briga, ameça, mas continua com ele, faz Pong. Ele procura se satisfazer na cama sem se importar com você, faz Ping. Você continua indo pra cama com ele, sonhando que ele pode mudar do nada, faz Pong. Ele se envolve com outras mulheres, desrespeitando o pacto de fidelidade de vocês, faz Ping. E você continua relevando e aceitando ele de volta, faz Pong.

Isso pode durar uma vida inteira. E só há um jeito de você colocar um fim nas partidas que não quer mais jogar – parando de fazer Pong. Ninguém joga Ping Pong sozinho. Não adianta fazer Ping se não há quem faça Pong. O que estou lhe dizendo é que você pode acabar com esses jogos e com qualquer outro que queira. Está nas suas mãos continuar ou parar.

Quais são as alternativas aos Pongs que você vem fazendo? Essa resposta está no fundo do seu coração. E a terapia pode ajudar nesse processo de trazer à tona o que você já sabe, por meio da reflexão, de aprender a ouvir sua voz interior.

Se colocar um ponto final nesses jogos desagradáveis, provocará uma mudança no seu marido, que precisará ser uma pessoa diferente, caso queira jogar com a pessoa diferente em que você se transformar.

Se ele não se adaptar, pode pedir a separação ou se revoltar e criar situações ainda mais difíceis, o que exigirá que você seja forte para romper com ele e seguir em frente. Assustador? É verdade. Mas eu garanto que uma vida inteira jogando o que não se quer e perdendo sempre é muito, muito pior.

Entenda que você não deve buscar ajuda para mudar seu marido. Ninguém muda ninguém. Se iniciar uma terapia de casal, será para entender o que está acontecendo com vocês, com o casamento. Se começar uma individual, será para entender o que vem ocorrendo com você. Qualquer mudança no seu marido, para o bem ou para o mal, está fora do seu controle e não é sua responsabilidade.

Quanto a estar triste por ser seu segundo casamento a não dar certo, quero lhe dizer que pode acontecer de tudo mudar para melhor e vocês restabelecerem a relação em outras bases. Isso não é impossível.

E, se a solução for o rompimento, em terapia você estará amparada o bastante para superar a dor, sem atribuir à separação um peso maior do que ela realmente tem, não importando se é a primeira, a segunda, a terceira, a décima! A bola está com você, garota!

Aproveito para recomendar a leitura de três textos que certamente a ajudarão: O GÊNIO E A DOR, TAMBÉM ESPIRITUAIS e TAMBÉM MATERIAIS.

*Os temas das consultas, assim como minhas observações, poderão ser comentados pelos leitores, que deverão ter em mente que as pessoas não estarão em discussão e que críticas a quem encaminha consulta são inaceitáveis. O Blog é para discutirmos ideias, não pessoas, sempre de forma absolutamente respeitosa.

15 thoughts on “O PING PONG DOS RELACIONAMENTOS (consulta de leitora)

  1. Quem nunca sentiu-se só em uma relação, apesar de “estar junto”? Quem nunca “namorou sozinho”? Quem nunca tentou “mudar o outro” na esperança de que o relacionamento um dia, quem sabe, desse certo?

    Para todas essas fases em minha vida a psicoterapia foi de suma importância.

    Ter alguém para podermos falar sobre nossas assombrações sem precisarmos esconder nossos rostos atrás de véus, não tem preço.

  2. Ninguém muda ninguém, então é importante que a mudança comece por nós mesmos e assim não aceitando certas situações e tendo pulso forte para aceitarmos todas as consequências, sendo elas favoráveis ou não.
    Maracy como sempre arrebentando no blog. Cada dia mais fã… Parabéns

  3. Gostei do Ping Pong… ♤x♡
    Esses jogos “solo” acabam por ser entediantes
    Melhor qdo há resposta positiva da outra parte…
    Bom domingo à todas

  4. O que eu acho muito interessante nesses casos,é que sempre um dos dois batalha,persevera,insiste em ficar junto, em dar certo, enquanto o outro(a),não mais se enteressa no relacionamento, e quando perde,fica se lamentando, so que na maioria das vezes,não tem mais oportunidade.

  5. Todo relacionamento tem que ter essa dinâmica. “O Amor é lindo” , mas mais lindo ainda é entender que a mudança está em nós e não no outro. Ninguém muda ninguém, temos que parar com as lamúrias, reclamações isso tira o brilho, o prazer do relacionamento. Mudar de parceiro (a) sem mudar a si próprio é empurrar o problema para o próximo relacionamento.

  6. Infelizmente o problema das pessoas é achar que nunca tá errado, que a culpa é sempre do outro e nunca nossa, é bem mais fácil. Eu sou a namorada, a esposa, a parceira que qualquer um gostaria, sou compreensiva, afinal, eu fecho os olhos para tudo que faz, tenho fé que um dia vai mudar… O nosso erro está aí, o outro precisa de ajuda, eu não, o outro, o outro SEMPRE. Temos que fazer uma avaliação profunda do nosso eu e nada melhor que uma terapia para nos ajudar a enxergar isso, pois as vezes não vemos isso, temos dificuldade. Eu adorei o texto, o exemplo do ping pong foi excelente. Parabéns.

  7. Relacionamento é sempre um jogo, alguém ganha ou perde. Tentar é sinônimo de força e perceverança. E que siga a vida, se é o segundo casamento e tem medo de que não dê mais certo, não pare por ai, que venha o próximo… O que não pode é ficar sozinha lamentando o passado… Bjos Mara 😍

    1. Bom que você tenha gostado. Melhor ainda que você esteja acompanhando o Blog. Lembre que o espaço não é meu, é nosso. E mande suas contribuições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*