AS PALAVRAS DE MEU PAI

Publicado em 3 Comentáriospoesia

Mais um lindo texto da MÔNICA MORO HARGER, para nosso deleite. Obrigada, querida, por compartilhar conosco essas lembranças! AS PALAVRAS DE MEU PAI Tivemos um pai-avô. Quando nasci, ele acabara de fazer 62 anos. Não bastasse, depois de mim vieram mais quatro! Aos quase 70 ele segurou o caçula pela primeira vez. Trinta e sete anos separavam a filha mais […]

ENTRE DUAS MULHERES (consulta de leitor)

Publicado em 1 Comentárioconsulta, poesia, Psicologia, Sem categoria

Bom dia! O meu caso é bem complexo, tenho 51 convivia com minha esposa a 32 anos, casados a 21 anos. Tivemos muitos problemas no relacionamento tantos causados por parte dela como depois por minha parte. Temos 3 filhos todos maiores e com situações financeiras resolvidas. Em 2006 minha esposa teve alguns relacionamentos na internet na época MSN, eu sofri […]

MUDANÇA

Publicado em 2 Comentáriospoesia

Pessoal, nosso Blog ganhou mais um poema, que tem tudo a ver com o que vem sendo postado aqui, sobre fechamento de ciclo e recomeço. Parabéns e obrigada, Ricardo Costa!   MUDANÇA Ricardo Costa Pergunto Se já mudou De mudança mudada Pegou gato, gaiola, aiocá Capa preta e caldeirão Athame e boline Vela e vassoura E resto de tralha amontoada […]

ULTIMATUM

Publicado em 6 Comentáriospoesia, Sem categoria

Mais uma bela contribuição do leitor Lau, o poema ULTIMATUM, de Álvaro de Campos, um dos heterônimos de Fernando Pessoa, adaptado e declamado por Maria Bethânia. Para se entender melhor o poema, sempre tão atual, embora tenha sido escrito em 1917, aí vai uma contextualização feita por Leandro Karnal: “Álvaro de Campos/Fernando Pessoa fez uma poesia iconoclasta no fim da […]

VIDA VAZIA

Publicado em 4 ComentáriosFilosofia, poesia, Psicologia

Pessoal, o nosso Blog ganhou uma poesia, escrita pelo leitor e poeta Dilson Gonçalves, que se inspirou no texto SENDO A PRÓPRIA ESTRADA, sobre vazio interior. E ele também nos enviou a bela imagem que a acompanha. Valeu, Dilson!!!! 👏👏👏👏👏 VIDA VAZIA ando completamente vazia e sem graça andando sempre de cabeça baixa no quarto só pensando triste besteiras grito […]