Maikon K.
Maikon K. Crédito: Victor Takayama/Flagcxiv. DNA de Dan, Maikon K. Maikon K.

Rollemberg pede desculpas por PM ter interrompido performance de artista

Publicado em CB.Poder

Ana Viriato

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), e o Secretário de Cultura, Guilherme Reis, divulgaram um pedido de desculpas ao dançarino e performer paranaense Maikon Kempinski, que teve a apresentação, caracterizada pelo nu artístico, interrompida pela Polícia Militar neste sábado (15/07) — a corporação o deteve por “ato obsceno” e o liberou após a assinatura do termo circunstanciado. Em nota, publicada neste domingo (16/7), o GDF ressaltou que a cultura é bem-vinda na capital, porque “o governo acredita, apoia e incentiva a livre manifestação artística”.

A performance realizada por Maikon Kempinski faz parte do Palco Giratório, organizado pelo Sesc, e já passou por outras cidades, como Belo Horizonte, Porto Alegre e Campina Grande. Em Brasília, o espetáculo — DNA de DAN — foi programada para acontecer em frente ao Museu Nacional da República. A PM, no entanto, interrompeu o ato ao determinar que o artista se vestisse.

A corporação justificou a interferência com a inexistência de documentação ou autorização do Museu e da Administração de Brasília. “Determinou-se a paralisação da referida exposição e foi dada voz de prisão ao elemento nu”, informa a nota divulgada. Maikon seguiu para a 5ª Delegacia de Polícia (Asa Sul) e, logo em seguida, foi liberado.

Um dia após o caso, que ganhou repercussão nacional, o governo lamentou o episódio e o desconforto causado ao artista. Confira a íntegra:

O governador Rodrigo Rollemberg e o secretário de Cultura, Guilherme Reis, pediram desculpas ao performer paranaense Maikon Kempinski, detido e levado para a delegacia, onde precisou assinar um termo circunstanciado de ato obsceno. O governo de Brasília destaca a importância da cultura. Rollemberg e Reis lembram que a cultura é sempre bem-vinda à capital da república e lamentam o desconforto causado ao artista, pois o governo acredita, apoia e incentiva a livre manifestação artística.

A performance

Na apresentação, o artista fica dentro de uma bolha plástica e tem aplicado sobre o corpo nu uma substância que se resseca aos poucos, até formar uma espécie de segunda pele. Para não rompê-la, o artista é obrigado a respirar cada vez menos. O rompimento, no entanto, é inevitável e, quando acontece, Maikon dá início a uma dança desenvolvida a partir de uma pesquisa sobre arquétipos e elementos espirituais.

  • https://open.spotify.com/user/thiago_cv Thiago CV

    Eu que não queria estar passando com minha filha nesse momento, com esse cara pelado! O.o O conceito de arte está deturpado. Gente colocando o dedo no c* do outro, defecando em vias publicas…

    Não… Parabéns à polícia por ter interrompido isso!

  • alex alves

    Safadeza pura desse cidadão, atos obscenos em público, parabéns a PMDF que cumpriu a lei, ao contrário de parabenizar a iniciativa da PM o governador pede desculpas por quê? Graças a Deus que em 2019 este socialista estará fora do GDF…

  • Flavio Rodrigues

    Isso não é cultura, sequer subcultura. Agem mal essas autoridades por minimizarem os valores morais do homem comum, que não deseja nem tem porque ser submetido ao capricho bizarro de gente incapaz de produzir o belo.

  • Marco Neubarth

    Mais um retrocesso!!!

  • Plínio Lourenço Monteiro Maran

    PARABÉNS PARA PMDF

  • WAGNER

    Nu “artístico” em público para quem quer e não ver. Isso , no meu ponto de vista, continua sendo ato obsceno.

  • Lúcio Gilbert

    Venho aqui me solidarizar junto à PMDF, peço desculpas pelas desculpas pedidas pelo gov ao “artista”, esse tipo de “arte” deve ser restrita a local fechado e só para quem queira ver, não em local público. Levei minha filha de 6 anos para andar de skate na praça e me deparo com essa encenação ridícula. Parabéns aos policiais militares!

  • Lúcio Gilbert

    Venho aqui me solidarizar junto à PMDF, peço desculpas pelas desculpas pedidas pelo gov ao “artista”, esse tipo de “arte” deve ser restrita a local fechado e só para quem queira ver, não em local público. Levei minha filha de 6 anos para andar de skate na praça e me deparo com essa encenação ridícula. Parabéns aos policiais militares!

  • Sérgio Prado

    Minha nossa que absurdo é esse? o cara está pelado? que país é esse? onde no planeta isso é permitido? só aqui no Brasil, que coisa ridícula! parabéns à Polícia Militar do Distrito Federal…

  • Lúcio Gilbert

    Venho aqui me solidarizar junto à PMDF, peço desculpas pelas desculpas pedidas pelo gov ao “artista”, esse tipo de “arte” deve ser restrita a local fechado e só para quem queira ver, não em local público. Levei minha filha de 6 anos para andar de skate na praça e me deparo com essa encenação ridícula. Parabéns aos policiais militares!

  • Lúcio Gilbert

    Venho aqui me solidarizar junto à PMDF, peço desculpas pelas desculpas pedidas pelo gov ao “artista”, esse tipo de “arte” deve ser restrita a local fechado e só para quem queira ver, não em local público. Levei minha filha de 6 anos para andar de skate na praça e me deparo com essa encenação ridícula. Parabéns aos policiais militares!

  • Lúcio Gilbert

    Qual o motivo de não publicarem o meu comentário? É errado concordar com a atuação da PM? Sou obrigado a presenciar essa “apresentação” num local público?

  • Sérgio Prado

    ATO OBSCENO

    Art. 233 do Código Penal- Praticar ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público:
    Pena – detenção, de 3 meses a 1 ano, ou multa.
    – ato obsceno: é o ato revestido de sexualidade e que fere o sentimento médio de pudor – ex.: exposição de órgãos sexuais, dos seios, das nádegas, prática de ato libidinoso em local público, micção voltada para a via pública com exposição do pênis, “trottoir” feito por travestis nus ou seminus nas ruas etc.
    – lugar público: é o local acessível a número indefinido de pessoas – ex.: ruas, praças, parques etc.
    – lugar aberto ao público: é o local onde qualquer pessoa pode entrar, ainda que sujeita a condições, como pagamento de ingresso – ex.: teatro, cinema, estádio de futebol etc; não haverá o crime se as pessoas pagam o ingresso justamente para ver show de sexo explícito.
    – lugar exposto ao público: é um local privado, mas que pode ser visto por número indeterminado de pessoas que passem pelas proximidades – ex.: janela aberta, terraço, varanda, terreno baldio aberto, interior de automóvel etc.; se o agente só pode ser visto por vizinhos, Nélson Hungria entende não haver o crime.
    – entende-se não haver crime se o ato é praticado em local escuro ou afastado, que não pode ser normalmente visto pelas pessoas.
    – é autor indireto do crime, aquele que se utiliza de um inimputável para a prática do delito – ex.: homem que treina macaco para praticar o ato.
    – palavras e gestos obscenos: não caracteriza este crime, mas pode configurar “crime contra a honra” ou a contravenção penal de “importunação ofensiva ao pudor”.
    – sujeito passivo: a coletividade (diretamente) e a pessoa que presenciou o ato (eventualmente).
    – o tipo não exige que o agente tenha finalidade erótica; o fato pode ter sido praticado por vingança, por brincadeira, por aposta etc.
    – consumação: com a prática do ato, ainda que não seja presenciado por qualquer pessoa, mas desde que pudesse sê-lo, ou, ainda, quando o assistente não se sente ofendido..

  • Carla Pereira

    Bom, como foi em espaço público, aberto a todas as idades, a PM agiu corretamente. Esse tipo de manifestação artística tem que se dar em local fechado, com indicação de idade mínima para ingresso!

  • Lu

    E desde quanto ficar nu é cultura??? Agora os Pms estão literalmente “lascados”. Cumpre com o dever e se tornam réus. Eh Brasil…

  • Paulo Becker

    Brasil, país da cultura ditatorial.

  • Willian

    Parabéns pra Polícia Militar do Distrito Federal.
    Cumpriu o seu dever e fez o questionário Legislação vigente no Brasil determina, isso é ato obsceno.
    Art. 233 do Código Penal- Praticar ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público.
    Esse Governador Rodrigo Rollemberg, mas uma vez agiu errado, ele tem o dever de ficar do lado da Lei.
    Por quê ele não fez essa apresentação em lugar fechado com controle de faixa etária para evitar que crianças vejam isso????

  • Denise Santana

    Aplausos para a Polícia Militar do DF que prendeu o artista que se apresentava nu, em praça pública, aqui em Brasília. PM tá certa. Certíssima. Tem local e público adequados para esse tipo de liberdade artística/de expressão. E a lei deve ser respeitada. É ato obsceno. E as crianças e adolescentes não podem ficar expostos a esse tipo de espetáculo em local público. Sem mais. Pode começar a me criticar. Pode começar o mi mi mi. E GDF deveria aplaudir a PM que fez cumprir a lei. Não deveria pedir desculpa coisa nenhuma. Como assim pedir desculpa pra quem comete ato contra a lei? GDF tá errado. Não tem que pedir desculpas pro artista, não. Tem que aplaudir quem acertou que foi a PM. Nota zero pro governador do GDF e pro secretário de Cultura.

  • Patton

    Calma, povo brasiliense, falta apenas 1 ano e 5 meses para o desgoverno rolemberg acabar! Esse erro, o eleitor brasiliense não voltará a cometer! O povo que estamos pagando é demasiadamente caro!

  • Manoel Brandao

    PEDIDO DE DESCULPAS DOS POLICIAIS MILITARES DO 6°BPM A SOCIEDADE DO DISTRITO FEDERAL.

    Os Policiais Militares do 6° BPM trabalham ininterruptamente para garantir a segurança , a tranquilidade e a ordem da Área Central de Brasília.

    Embora cercados de péssimos exemplos de conduta que emanam de alguns prédios públicos vizinhos.

    Seus integrantes possuem a fé inabalável na sua missão de servir com lealdade o cidadão de Brasília e pautar o trabalho no respeito a lei.

    No momento que um indivíduo fica nu em meio de um local público onde frequentam pessoas, crianças inclusive,que não são obrigadas a se deparar com tal cena.

    Viola-se a lei penal que não possui nenhum dispositivo permissivo do tipo : ” Praticar ato obsceno em local público , SALVO EM MANIFESTAÇÃO ARTÍSTICA.

    Em que pese, não pretender se discutir estética artística, ocorre que qualquer pessoa que se apresente nua em um local público dentro de bola de plástico, seria conduzida a autoridade policial em situação de flagrante delito, inclusive Vossa Excelência, Governador.

    A equipe do 6° BPM que deu voz de prisão ao artista despido, serve às leis desse país e principalmente ao cidadão pagador de imposto dessa cidade, mas se surpreendeu quando sem ter dado procuração alguma ao Governador , observou o mesmo oferecer desculpas em nome dos Policiais Militares.

    O nosso Governador demonstrou em um só ato seu péssimo gosto artístico , seu desprezo pelas leis que regem a sociedade, desrespeito aos Policiais que efetuaram a prisão e aos cidadãos brasilienses que se sentiram aviltados a presenciar cena de nudez em plena luz do dia em um local público e movimentado.

    Pedimos desculpas quando se comete algum erro, quando se desvia do certo e do que é justo, não foi o caso de maneira nenhuma.

    A sociedade pode até conviver com algum desvio da norma, da moral e da regularidade de seus costumes, mas nenhuma sociedade prospera se passar a considerar o errado como certo.

    Nesse sentido, parabenizamos a equipe do 6° BPM. pela excelente conduta e cumprimento do dever policial com a sociedade do DF e

    NOS DESCULPAMOS SINCERAMENTE AO POVO DE Brasília por ter um Governador com um gosto artístico tão asqueroso como o Sr. Rodrigo Rollemberg.

  • Edson Ferreira

    O cara peladão pintado de verniz simbolizando uma “entidade espiritual sadomasoquista” numa bolha sufocante, onde ele vai morrendo aos poucos até romper o casulo, e aí se metamorfosear numa mortal linda borboleta dançante.