Estacionamentos rotativos e deficit de vagas na área central para criar o Zona Azul (vagas rotativas)
Estacionamentos rotativos e deficit de vagas na área central para criar o Zona Azul (vagas rotativas) Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press Estacionamentos rotativos e deficit de vagas na área central para criar o Zona Azul (vagas rotativas)

Rollemberg autoriza projeto do Zona Azul para estacionamentos rotativos na área central

Publicado em CB.Poder

Depois de 15  anos de debate sobre a cobrança de estacionamentos nas áreas centrais de Brasília, o GDF começou o processo de implantação do sistema Zona Azul. O governador Rodrigo Rollemberg autorizou o lançamento do edital de chamamento público para convocar empresas a atuar nesse modelo. O deficit de vagas nos setores centrais da capital federal chega a 30 mil.

 

Os interessados terão que elaborar os estudos de viabilidade e entregar os projetos de modelagem técnica, econômico-financeira e jurídica. Os dados deverão mostrar como será implantado o sistema e como será feita a operação e a manutenção dos estacionamentos rotativos pagos no Distrito Federal. O projeto está sob o comando do secretário de Cidades, Marcos Dantas. Ele foi secretário de Mobilidade antes de assumir a pasta que controla as administrações regionais e, por isso, herdou a responsabilidade pela adoção do sistema de vagas rotativas.

 

Polêmica sobre estacionamentos

O tema é debatido desde a gestão do ex-governador Joaquim Roriz. Em 2003, o GDF criou o modelo de rotativos com o nome de Vaga Fácil. Mas a cobrança pelas vagas gerou confusão e muita polêmica, com carros do Detran apedrejados. A lei que autorizava o sistema foi questionada em uma adin pelo Ministério Público do Distrito Federal e o Tribunal de Justiça do DF considerou a legislação inconstitucional.

 

Desde então, as sucessivas administrações vêm buscando uma saída legal para cobrar pelo uso das vagas. Além de arrecadar, o objetivo é oferecer opções de estacionamento em regiões onde há grande demanda e pouca oferta, como o Setor Comercial Sul.

 

Avanço das PPPs

O sistema do Zona Azul é uma das parcerias público-privadas prometidas pelo governo desde o início desta gestão. Além dos estacionamentos rotativos, o GDF já autorizou parcerias com a iniciativa privada para PPP no Centro de Convenções, para a iluminação pública, para o Parque da Cidade e para a construção da rodovia Transbrasília. Muitos desses projetos tiveram prazo de apresentação de estudos prorrogado, a pedido dos interessados.

 

  • FRANCISCO AMARILDO

    Totalmente sem noção esse governo já basta o tanto de impostos que pagamos…

  • Frederico Oliveira

    Perfeito. Pessoal é muito preguiçoso pra pegar metrô, então acho justo pagar pra estacionar. Duas vezes por semana tenho que vir ao Plano de carro e o que mais vejo são veículos com apenas um passageiro. E não cola essa conversa do povo que mora em Águas Claras que o metrô não presta. É puro comodismo. Esse sistema já existe em grandes capitais mundiais e não visa só arrecadar, mas sim reduzir os engarrafamentos nos grandes centros. Vai a Londres pra ver quanto custa estacionar no meio da cidade…

  • Atila Sales

    Concordo esta uma bagunça o SCS é um verdadeiro inferno para estacionar.

  • Ricardo Cubas

    Meu deus do céu, por que não investir na construção de prédios garagem de 15 andares em todos os terrenos possíveis e imagináveis no centro da cidade?

    • Marcelo Saboia

      Seria como tratar a obesidade aumentando cinto. Quanto mais vagas mais pessoas vão usar carro. O problema não é falta de vaga, mas o excesso de carros.

    • Samuel Souza

      Também tem a questão do tombamento e gabarito. Em muitas regiões de Brasília os prédios têm limitação de altura. Daí os estacionamentos teriam que ser para baixo assim como fizeram no setor bancário sul com sete andares de subsolo para estacionamento, mais o térreo e sobreloja para o comércio. E não é barato mesmo avulso ou mensal. O melhor seria mesmo depender menos de carro.

  • JR_BSB

    O GDF ainda diminuiu a quantidade de vagas no canteiro central entre o SCS e o Hospital de Base.

  • Rocco Sousa Moura

    O pior governador que já passou pelo buriti

  • Prof. Vander

    Esse desgovernador está sintonizado com Michel Temer e o tucanato de São Paulo.

  • Luiz Serra

    Nem parece capital do país, cidades menores possuem áreas de estacionamento, aqui é uma zona… nacional!

  • Guilherme Daher Naves

    Acredito que se usassem este dinheiro unicamente para reforma das vias e educação no trânsito tudo bem. Sem excessões, mas é utopia.

  • Claudio Silva

    E irá prevalecer a lógica de prever demanda para prover infraestrutura? Sinceramente, isso é do século passado!

  • Orléans e Bragança

    Está mais do que na hora de transformar toda esta área em estacionamento rotativo e educar a população, como se faz isso? Multando! Multar todo dia, o dia todo, todo mundo que estaciona de forma irregular. Chegará o momento em que passarão a usar o transporte público, que obviamente é sim precário, e o GDF terá argumentos para obrigar mais ônibus, linhas e melhorias, mormente no horário de pico com o aumento da demanda diária.

    Aqui em Brasília o descaramento é tão grande que conheço pessoa que mora na 302 norte e trabalha na SCS Qd. 6 e vai de carro todo dia. Isso é exceção para falar de regra? Não. Conheço várias pessoas que moram na asa norte e asa sul trabalham no Setor Comercial e no Setor de Autarquias e nenhuma, creio, nunca pisou dentro de um ônibus. Não preciso nem começar a falar das pessoas que moram a 100 metros da estação de metrô em águas claras e trabalham a 100 metros da Galera dos Estados e também só vão de carro e reclamam da falta de vagas.

    Temos de educar e forçar sim a melhoria desta cultura Brasiliense em que é proibido a pessoa dar carona porque vai se desviar 500 metros de seu caminho habitual, é proibido mais de uma pessoa por veículo e a pessoa pega o carro para ir à padaria a 300 metros de sua residência.

    Neste país, apenas existe reclamação, mas ninguém quer perder 1cm de espaço em seu direito, a fim de melhorar 10cm no resto da sociedade. A consequência será a melhoria de 10cm para a própria pessoa, mas quando tem de se olhar o umbigo do outro, a visão fica turva.

  • Jonas Bertucci

    Há um erro no matéria. Não há déficit de vagas em Brasília, há um uso excessivo de automóveis. Fiquei curioso para saber de onde saiu esse número mágico de 30 mil. Todas as grandes cidades cobram caro pelo uso do espaço público e aqui não deve ser diferente. E nenhuma cidade no mundo conseguiu resolver o problema sem combater fortemente o uso do carro, independentemente da necessária melhoria do transporte público.

    • Fernanda

      Brasilia tem uma frota de 1.432.193 veículos, 30mil seria até pouco.. ou apenas as regiões de concentração de comércio diversificado.

  • Marcelo Pimentel

    Não devemos comparar o Brasil com a Europa, mas sim com os Estados Unidos. Lá qualquer idiota tem carro, e tem vagas à vontade, nos Shoppings inclusive não são cobradas, só brasileiro é feito de otário. Vocês acham que nosso país é minúsculo como os da Europa? não faz sentido algum!

    • Fernanda

      Precisa se informar melhor Sr. Pimentel, até em Londres há cobrança de estacionamento rotativo (Vagas públicas)… Não fale besteiras… A cobrança contribui pra rotatividade e para o comércio. Já pensou chegar em um local e TER vaga, ao invés de rodar por hrs atras de uma vaga você achará uma rapidinho! 😉

    • Fernanda

      Pro comércio representa mais pessoas circulando no local e consequentemente consumindo mais ( o que é ótimo pra cidade)
      A PPP nesse setor gera valor irrisório para prefeitura, antes que digam que o governo quer sempre ganhar, o dinheiro vai para o pagamento dos funcionários da empresa privada, para pagar as despesas do escritório da empresa, gasolina dos carros de manutenção e etc… O município fica com 5 a 30% do valor arrecadado, depende do que será exigido no edital da licitação. O Edital pode ser adquirido e lido por qualquer cidadão sem custo algum, leia se informe e veja que é um beneficio pra cidade, pro condutor, pro comércio e essencial para acabar com flanelinhas!

    • Fernanda

      E estimular o uso do transporte coletivo ou das bikes.

    • Aline Yossef

      Em que Estados Unidos vc foi ou está?? Eu nunca vi isso por aqui. Aqui tudo é pago.

  • Marcelo Pimentel

    Outro detalhe importante, vão cobrar, mas vão oferecer segurança, iluminação, garantias? aposto que não… é um serviço de mão única, não concordo.

  • Patton

    Existem IDIOTAS que sempre repetem o mantra de que deve-se desestimular o uso de automóveis para que assim as pessoas utilizem o transporte público. Na verdade, as pessoas (as que conseguem!) compram carros, que custam caro neste país bananeiro, pagam impostos mais caros ainda ao adquiri-los, alem de um IPVA absurdo, um seguro estratosférico, sujeitam-se a horas em engarrafamentos de trânsito (em Brasília não há engenharia de tráfego, além de sobrarem ciclotarios com a bermudinha de lycra enfiada na bunda que pensam ser os donos da via!), vivem a levar multas (quando se consegue andar) na indústria dos pardais, não encontram vagas para estacionar, muito menos segurança nos estacionamentos, PORQUE NÃO EXISTE TRANSPORTE PÚBLICO EM BRASÍLIA!!!!! Entenderam, ciclotarios imbecis? Ou tem que desenhar??? Depois de tudo isso, ainda vem esse (des)governo de playboys-envelhecidos, que nada faz pelo cidadão de Brasília, cobrar estacionamento?!?!?!

    2018 logo chegará! Esse sofrimento vai acabar!