images

Como o uso de agrotóxicos está causando problemas de saúdes aos pequenos agricultores.

Publicado em

Agricultores e seus familiares tem apresentado nos últimos anos vários problemas respiratórios, desequilíbrios hormonais, esterilidade e câncer, que estão sendo possivelmente associados à exposição aos agrotóxicos.

Nós brasileiros somos a população que mais consome alimentos contendo agrotóxicos no mundo, e a falta de instrução necessária para técnicas que poderiam amenizar o contato direto com esses elementos intoxicantes é um grande problema atualmente.

A segurança com o uso devido dos agrotóxicos está sendo debatido pela Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que emitiu em julho um novo marco regulatório para agrotóxicos. Dados do estudos realizados pela Faculdade de Saúde Pública da USP revela que apenas 22,9% dos trabalhadores rurais afirmam ter conhecimentos recebidos através do treinamento para o manejo adequado desses produtos nas plantações.

O mesmo estudo aponta que em exames de sangue foram constatados aumento de biomarcadores ( toxinas ) nas amostras de trabalhadores rurais, assim como a dificuldade respiratória. Os principais sintomas como tosse, alergia nasal são mais recorrentes na safra do que na entressafra, o que faz constatar à hipótese de que o contato direto aumenta os riscos para a saúde do trabalhador.

Alterações no sono e irritabilidade além da dificuldade de concentração e raciocínio também foram apontados como consequências da exposição direta a esses elementos tóxicos. O principal risco para os pequenos agricultores é a desinformação, pois a maioria deles não utiliza a prescrição agronômica quando manipulam os agrotóxicos, além da falta de fiscalização. Menos da metade desses trabalhadores usam equipamentos de proteção individual (EPI) durante a manipulação dos agrotóxicos.

O contato direto com esses elementos químicos pode ocasionar aumento na produção de do hormônio TSH e a diminuição do hormônio T4, produzido pela tireoide, causando o hipotireoidismo ou bócio.

O marco regulatório apresentado pela Anvisa apresenta mudanças na classificação da toxidade dos agrotóxicos e nova forma na rotulagem dos produtos com o objetivo de facilitar a identificação de produtos que causam riscos à saúde.

Mas os estudos trazem uma nova reclassificação apenas para elementos que podem levar a morte, deixando assim componentes com menor toxidade sem critério para classificação. O nível de analfabetismo dos agricultores é altíssimo e eles dificilmente leem os rótulos com as instruções básicas de uso. Assim o uso indiscriminável dos agrotóxicos sem uma prevenção direta somada a baixa escolaridade dos agricultores podem gerar consequências severas.