images (8) Foto: Reprodução

Entrevista sobre Educação com Tony Bellotto, guitarrista dos Titãs.

Publicado em

BSN – álbum “Cabeça Dinossauro” é uma das maiores referências do Rock Nacional. Vocês visualizam alguma influência das músicas desse disco em algum dos discursos atuais da juventude?

Tony Bellotto – É muito difícil analisar e perceber o quanto “Cabeça Dinossauro” influenciou e continua influenciando as gerações que se formaram desde então, o disco é de 1986. O que a gente sente é que realmente é um disco que diz muito até hoje, e forma novos fãs a cada ano que passa. É um disco que já tem 32 anos de vida, mas que continua muito atual. O disco é um grande acerto na nossa carreira musicalmente falando, os temas das canções, eu acho que é a maneira como os Titãs são conhecidos e percebidos, e tem muito a ver com o que está no “Cabeça Dinossauro”, nosso disco mais emblemático e cartão da visita da nossa obra. Eu sinto, sim, que ele tem muita repercussão. A gente vê garotada que estava longe de nascer quando o disco foi lançado, cantando, dançando e se identificando com as músicas do álbum. É um grande disco e somos muito orgulhosos de ter feito ele. Até hoje, a maior parte das músicas dos nossos shows são do “Cabeça”.

BSN – As músicas do Titãs são utilizadas por professores do Brasil inteiro como material didático para o ensino. Qual a importância para a banda sobre isso?
Tony Bellotto – O fato das músicas serem utilizadas como material didático é muito legal. Ficamos muito orgulhosos de alguns professores terem essa visão, essa compreensão de que muitas das nossas músicas possam ser usadas como ensino. Além de nos dar orgulho, reitera que a gente faz uma coisa relevante, o que é muito satisfatório para qualquer músico ou qualquer compositor.

 

BSN – Deixem alguma mensagem de incentivo/motivação para os estudantes de Brasília.
Tony Bellotto – Bem, nunca peçam a um roqueiro para dar conselho para um estudante, porque o conselho que eu vou dar é aquele que ouvi de Timothy Leary, que é um grande guru da contracultura norte-americana dos anos 60. Ele mandava que os estudantes abandonassem as escolas e caíssem na vida. Façam isso, garotos.