Foto: Leo Aversa
mateus ribeiro em peter pan Foto: Leo Aversa mateus ribeiro em peter pan

Mateus Ribeiro vive Peter Pan nos palcos e embarca para a Terra do Nunca

Publicado em Artes Cênicas, Teatro, Teatro musical

Mateus Ribeiro, que iniciou os estudos para teatro musical em Brasília, prepara-se para protagonizar a história de Peter Pan. O talento do ator ganhou os palcos da capital e logo chamou atenção de importantes diretores.

O espetáculo atual é o seu décimo trabalho profissional e, ainda jovem, o artista acumula uma trajetória repleta de grandes nomes e montagens do teatro musical.

Reconhecida no restante do país como uma das capitais que melhor prepara seus artistas para o mercado de teatro musical, Brasília mostra o alcance de mais um talento. O jovem Mateus Ribeiro (24) vive agora o conhecido personagem Peter Pan, no musical que estreia pela primeira vez em palcos brasileiros, em São Paulo.

Foto: Leo Aversa
Foto: Leo Aversa

O artista torce para que logo a montagem ganhe uma turnê nacional e conta ao Correio como se prepara para cantar, dançar e interpretar um personagem tão icônico em cena.

“Me sinto privilegiado de poder dar vida a esse personagem tão icônico e de poder levar essa história para tanta gente. Fico arrepiado só de imaginar as crianças na plateia assistindo”, afirma Mateus Ribeiro.

Peter é interpretado originalmente, na Broadway, por mulheres, e ganha sua primeira versão masculina na voz de Mateus. A partitura musical feminina das canções, com tons mais agudos, é um dos maiores desafios em seu processo criativo atual.

mateus ribeiro
Os conhecidos números musicais de dança aparecem entre jazz e sapateado. “Eu canto e danço voando também! Fiz aulas de ginastica olímpica antes dos ensaios pra me preparar fisicamente e agora faço acompanhamento com professor de canto, fonoaudiólogo e otorrino”, conta o artista.

Expandindo horizontes

A preparação para a maratona teatral se estende ainda por repouso vocal, exercícios diários, alimentação controlada e horas controladas de sono. O ator lembra que o corpo precisa estar em forma para ter fôlego entre os números musicais. Os estudos de Mateus começaram na capital, na Escola de Teatro Musical de Brasília, quando o gênero ainda era desconhecido para ele.

Foto: Leo Aversa
Os meninos perdidos. (Foto: Leo Aversa)

A cidade tem exportado grandes talentos para produções nacionais e o ator conta que teve aulas com profissionais altamente capacitados no Distrito Federal. É o caso de Mateus Ribeiro, reconhecido como um dos principais nomes da nova geração do teatro musical no país.

“Tive um preparo incrível em Brasília, com estruturas ótimas. A oportunidade de aprender no anonimato e chegar nos grandes testes no anonimato também é boa. Assim chegamos preparados sem que ninguém nos conheça até então, podendo ser uma grata surpresa”.

Foto: Leo Aversa
Foto: Leo Aversa

Mateus lembra que o gênero teve um grande crescimento no Brasil nos últimos anos, com profissionais cada vez mais capacitados. Atualmente, o mercado do teatro musical busca formas de se manter, estabilizar profissionalmente e continuar crescendo.

A montagem

A história de Peter Pan fala sobre um menino que se recusa a crescer, e que certa noite espreita na janela da casa dos Darling, convidando Wendy e seus irmãos a aprenderem a voar. Com a ajuda da fada Sininho, Peter os leva à Terra do Nunca, um universo mágico cheio de seres maravilhosos.

O musical original é uma adaptação da peça de J.M. Barrie, de 1904, e chegou à Broadway em 1954.

“O que gosto na historia e no personagem é o fato de nada ser muito romantizado. Os defeitos do Peter são sempre colocados à mostra e a historia não termina com um ‘felizes para sempre’ convencional”. Destaca o ator.

O primeiro grande trabalho profissional foi em Cabaret, ao lado de Claudia Raia
O primeiro grande trabalho profissional foi em Cabaret, ao lado de Claudia Raia

A história do garoto que voa, luta com espadas, vive aventuras, conhece piratas e sereias ganha viva em um novo universo montado nos palcos. Enquanto isso, o jovem ator que teve seu talento descoberto para os musicais em Brasília, alcança voos cada vez mais altos.

Mateus Ribeiro prepara com dedicação para viver um dos personagens mais icônicos do imaginário infantil e leva aos adultos a possibilidade dos sonhos do menino que se recusa a crescer.

Confira entrevista com Mateus Ribeiro

mateus ribeiro

Como foi saber que seria o novo Protagonista do Peter Pan e como tem sido seu envolvimento com o espetáculo?

Foi uma mistura de sentimentos. Vinha plantando isso ha anos, e estava muito focado nesse papel em específico desde que soube que seria um homem a representa-lo, ao contrário do que normalmente é na Broadway. Durante os testes me chamaram pra adicionar também pra Smee, assistente do capitão gancho, mas preferi não fazer, por que meu coração tava no Peter e sabia o quanto havia me preparado.

Foi uma emoção receber a confirmação. Pulei e chorei quase ao mesmo tempo. Eu já era apaixonado por esse conto, agora virou uma relação de amor. Ele fala de muitas coisas importantes e bonitas e de uma forma muito mágica e simples.E convenhamos, que garoto nunca sonhou em voar, lutar de espadas, viver aventuras, conhecer piratas e sereias? (Mateus Ribeiro)

Você se identifica com o personagem? E com a história?

mateus ribeiro em peter pan

Em alguns pontos me identifico com Peter mas em outros não. Rs O que gosto na historia e no personagem é o fato de nada ser muito romantizado, no sentido que é sempre colocado a mostra os defeitos do Peter e que a história não termina com um “felizes para sempre” convencional, ao meu ver.

Como é o seu processo criativo, enquanto ator, dançarino e cantor, para entrar em cena?

Varia muito de espetáculo pra espetáculo. Eu tento sempre entrar ao máximo no universo da peça que vou fazer antes de começarem os ensaios. Vejo filmes, leio livros, ou do próprio espetáculo em questão ou que me remeta a ele, e pesquiso muito, hoje em dia a internet pode ser um aliado muito grande em pesquisa e referências. (Mateus Ribeiro)

No Peter, estou tendo uma preparação muito maior e um cuidado também, por conta da dificuldade do espetáculo. Fiz aulas de ginástica olímpica antes dos ensaios pra me preparar fisicamente e agora faço acompanhamento com professor de canto, fono e otorrino.

Também usei como inspiração, por exemplo, pinturas de crianças da época em que o livro foi escrito, pra estudar como elas se vestiam, posições, olhares, gestual e tentar trazer isso pro meu corpo e pra minha construção.

Você sente que Brasília te preparou bem para trabalhar profissionalmente com o teatro musical?

Foto: Leo Aversa
Foto: Leo Aversa

Sim, completamente. Antes de estudar na ETMB (Escola de Teatro Musical de Brasília) o gênero era algo desconhecido para mim. Tive um preparo muito incrível em Brasília!

Temos profissionais altamente capacitados, com estruturas de ensino ótimas e a oportunidade de aprender no anonimato e chegar no eixo SP-RJ já preparados e sem que ninguém até então te conheça, pode ser ótimo. Você pode ser uma grata surpresa!

Acredita que as produções de teatro musical ainda estejam em ascensão ou aquele crescimento de antes está diminuindo um pouco?

Se formos falar de números, o gênero continua crescendo. Em 2017 tivemos o recorde de espetáculos produzidos durante o ano. Mas vejo como um mercado que se estabilizou e que fica encontrando formas de se manter e crescer, principalmente no cenário politico atual do país.
Até quando o musical fica em cartaz?

A princípio, ficamos em SP até Julho e no segundo semestre devemos ir pro RJ. Quem sabe não fazemos turnê pelo país? Vamos torcer!